quinta-feira

o ouro que havia nos manuscritos











 

 

vazaram a paisagem
os olhos meu
mas já partira de muito
a primavera
no encalço seu
de ambas tão célere
andadura
que não se permitido
o vocábulo adeus

agora é outra a procura
já que perdida da poesia
o que nela era iluminura

Um comentário:

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Esse poema me deixou emocionada, pela beleza e pelo sentimento que nele transparece.