terça-feira

almost invisible

cerúleo julho
eu sem palavras
seguia em solidão
de eterno entreato

e só uma ave
impedia-me o mais
cabal anonimato

cantando sem legato
que bem me via
não obstante ausente
toda a poesia

Um comentário:

Henrique Coutinho disse...

Esse poema tem imagem e paisagem, luz, som e clima.