segunda-feira

rio de palavras, choro

entre pedras e vida
derramo esse rio
poesia essa que deságua
com acréscimos do estio

derradeira foz é o papel
para minha voz
que sobrevém corredeira
em seu avanço de
nunca remanso

ainda que a emoção inverne
se interponha a dor
em meu curso
ou o coração se afiance
outonal
caudal é meu estilo

Nenhum comentário: