sábado

nem tão mágicos assim


"Velho guitarrista", Pablo Picasso

mesmo que insuspeita
soe a palavra
verso algum fará ocultos
do amor os desfiladeiros
onde se extraviam os ventos
ocasos sucumbem
e o azul das tardes
desatina

nenhum verso
esconderá à surdina
desvãos e portos
onde atracam desalentos
onde sóis perplexos
tornam marejados
os olhos meus
ante a cabal visão
da própria sina

2 comentários:

Graça Pires disse...

Gostei do poema.
Obrigada pela visita ao meu espaço e pelas palavras sensíveis que lá deixou. Serei visita de seu Vooleta. Um abraço.

Alexandre Bonafim disse...

Poema de belas imagens! Também gostei. Abração.