sábado

ante o céu que não me levara


"O Rio", Claude Monet

pássaro que almejara
os presságios do sul
eu não mais compunha
o vértice de asas na
geometria da tarde
inerte ante os arroubos
e a primazia do sol

sem as prerrogativas
do azul e do vôo
restara-me cumprir um
itinerário de solitário rio
o coração exilado em
remansos e quedas
entre pedras meu remar

Nenhum comentário: