terça-feira

antes das futuras constelações


"Barcos de carvão", Vincent van Gogh

asas confundiram-se
esvoaçando silêncios
na tarde que fora campo
tão fértil para o sol
e pela hora em fuga
logo seria noite intensa
talvez até em demasia

estrela qualquer que
por ali orbitasse
negaria a mim veredas
e definitivos que eram
os dedos dos ventos
inclinavam-me mais que
a trigais adormecidos
aos estaleiros da solidão

Um comentário:

Graça Pires disse...

Asas que esvoaçam silêncios. A solidão é como o vento...
Um abraço, meu amigo.