terça-feira

eu que tão longe do novo mundo


"Cabana de pescadores", Claude Monet

paisagem que mareja
à passagem do olhar
vejo velhos continentes
outras milhas desconheço
que não o périplo da dor

gaivotas silencio com
barco nenhum ou
ninguém por chegar
rumo outro às velas
meu coração nunca
soube instigar

tristezas costeiras
há muito que regem
dessas águas o leme
tempo infindo faz
apropriaram-se do
que era meu mar

Um comentário:

Graça Pires disse...

A passagem do olhar: o mar, as velas, e uma enorme solidão de marinheiro ...
Um abraço.