quarta-feira

quase uma ode a Dioniso


"Dioniso criança"

da manhã as tríades
clamavam por passos
perder-me ali seria
então celebrar a vida em
festejos de vinho e pão
um tácito sim dizer às
circunstâncias do vento
num ínterim de sol

pouco eu ambicionara
além da primavera
em lugar do silêncio
que se agigantava
matiz outro ao coração
propiciar
e um levante de asas
assim talvez permitisse
desvencilhar a teia
os nós da solidão

Um comentário:

Graça Pires disse...

"celebrar a vida em
festejos de vinho e pão"
E os nós da solidão hão-de quebrar-se...
Um abraço meu Amigo.