sexta-feira

Sísifo à minha maneira


"Paisagem em Murnau", Wassily Kandinsky

um girassol contemplativo
acompanho a tarde desfeita
seus ritos de passagem
esperando das vagas o regresso
incerto de barcos e amores
reminiscências que se dissipam
nos moinhos de Khronos

não bastará da noite
o ricercare gotejando
volutas de estrelas
ante o que vi ficar invisível
o vazio que me atinge em cheio
não é azul nem vesperal
tem algo que beira o infinito
peso de uma ou mais eternidades

Um comentário:

Alexandre Bonafim disse...

Belíssimo texto! Saudades. Abraço.