quinta-feira

ante um céu ensurdecido


"Montanhas de Saint Remy", Vincent van Gogh

se trago perdidos os olhos
no emaranhado das nuvens
preciso de um tempo que
anterior à tempestade
pois nos bosques adormecidos
indistintos são os gritos
da solidão e do vento
entre o ocaso e as potestades

em mim as dores são tácitas
feito indícios da primavera
refazendo o viço dos campos
e na imensidão que contemplo
se meu coração for confrontado
vestígio nenhum do amor
como o fogo ou múltiplas rosas
será então encontrado

Um comentário:

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Vestígios do amor sempre existem no coração, mesmo que esmaecidos e também esquecidos, podem ainda ser vivificados, com os tons certo da poesia.

Poeta, tua poesia é primavera constante, com direito à alvorada de cada novo dia.