sábado

do que se avistava


"Girassóis", Vincent van Gogh

diferente do girassol
o coração meu não sabe
mais amores espreitar
cego está o périplo dos olhos
às iluminuras desta vida
continente que confesso
eu nunca soube aportar

eclipse de tardes e sombra
sorrateiro é o desencanto
tecendo mosaicos de dor
no caleidoscópio da primavera
impondo assim em mim
a matiz da solidão
em lugar do sonhar

3 comentários:

Sandro Rozzo disse...

palavras escavadas com zelo...
lindo relicário...
obrigado pela aula

Alexandre B disse...

Lindo!!!!!!!!!!!!!!

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Diferentes são os tons da emoção que a vida nos confere. Se no passado, foram dores,com eclipses e sombras, o presente pode simplesmente encher de luz nosso coração, com os girassóis de Van Gogh ou um amor novo a despontar.