segunda-feira

do que assim me emudece


"Outono na Bavaria", Wassili Kandinsky

perdido que foi
o veio da poesia
já não garimpo versos
e sei fugazes desde a
palavra que não medra
aos rompantes do coração

ironia de bateia vazia
feito diamantes na
manhã encontro
vislumbres de orvalho
mais ausências do outono
e o amor sem floração

Um comentário:

Graça Pires disse...

As palavras, você o diz, são vislumbres de orvalho... Preservar a sua fragilidade é a difícil tarefa do poeta. Um beijo, meu amigo d'Angelo