segunda-feira

não sendo tempo de aflorar


"Impressão, sol levante", Claude Monet

do prefácio ao fim
esculpe o outono em mim
o enredo desta manhã
eu em invernal solidão
pétala nenhuma ou amor
ao alcance da mão

gládio de sol e neblina
triste sina é constatar
que do meu coração ou
de seus quadrantes
nada venha a vicejar

Um comentário:

Graça Pires disse...

Ao alcance da mão um gesto de ternura, um gesto em sintonia com o grito de solidão que as palavras do poema deixam adivinhar.
Um beijo, meu Amigo.