segunda-feira

entreato


"Ponte na Chuva", Vincent van Gogh

enquanto em legato
a chuva é entreato nos
quadrantes da solidão
eu que do amor tão só
conheço o exílio
revejo versos adiados

a felicidade dissidente
então rememoro
como a nostalgia entre
fotogramas semeada
legitimando o que se esvai
o que dói por não vivido

Um comentário:

Graça Pires disse...

Poema de melancolia íntima, profunda, como os sentimentos de que se tem pudor de falar. É por isso que o amor é um exílio e a felicidade lhe parece dissidente.
Um beijo, meu amigo.