sábado

a prerrogativa do azul e das canções












 "Bosque das Oliveiras", Vincent van Gogh

conheço o estio entre
palavra e circunstância
mas janeiro iniciado
me atenho às
dissonâncias do vento

quebro naipes de
silêncios entre
minuetos de asas
no legado da tarde
rumores de pétalas
traduzo

celebro o verso que
me é uníssono e afim
pois carrego em mim
a saga dos crepúsculos
a prerrogativa do azul
e das canções

2 comentários:

Luciana Marinho disse...

harmonia de ter sempre a natureza e o ser imersos na música... muito bonito!

abraços!!

Elizabeth F. de Oliveira disse...

D'Angelo, que lindo!
Fiquei emocionada com o seu poema. Você diz tanto em tão pouco e de uma forma muito particular.
Lindo demais.
Abçs,