segunda-feira

tão ninguém sem a poesia















"Rua Murnau com mulheres ", Wassily Kandinsky


aporto enigmas e ruas
um caleidoscópio de
palavras refaço
me perco se contemplo
o infinito

flanando algures
enceno gestos e passos
pela cidade que aflora
em delongas por vielas
sem geometria

sem intermezzo ou
trégua da solidão
que em mim impera
que me faz tão ninguém
se não tenho a poesia