terça-feira

o azul sem regresso












 
 

"Paisagem com campos arados" Vincent van Gogh


alinho palavras que
a tarde me outorga
pois o que existe de
mim é circunscrito
ao silêncio

e  emudeço no que
me expresso
pois bem sei o azul
sem regresso
do céu sucumbindo
ao chumbo do chão

por epígrafe tenho
as asas ceifadas
o afã de ocasos
e mais o zênite
da solidão

Um comentário:

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Belíssimo poema, meu caro!
Alinhavaste muito bem o lirismo às metáforas, cujo resultado eufônico é poesia para nossos ouvidos e coração.