terça-feira

em meio à invernada













"O magpie", Claude Monet

não me basta no dia
a ênfase do sol
eu me sentindo assim
tão madrugada

asas trôpegas em
meio à invernada
entre os altiplanos que
nunca atravesso

pois sei a dor da brisa
ainda que inconfesso
o que faz em mim o
coração estrangeiro

as páginas tantas
sem semeadura
por não haver o amor
como iluminura

Um comentário:

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Que o calor de tuas palavras derreta o gelo da invernia do teu coração.
Tua poesia sempre tão bela,com palavras matizadas de primavera não combina com, da tua alma, a estação.

Luz!