domingo

ante fotografias baças










 
  


"Mulher de boina e vestido marcado", Pablo Picasso

                                 Em memória de Silvana Márcia Saris


agora nada resta além
de coligir lembranças
marejar os olhos ante
fotografias baças

vidraças de décadas
tentar atravessar
para sonhos e centelhas
de amor abrigar

e ficar aqui neste
distante cais
na dor imensurável
do nunca mais

enquanto você
felicidade
singra pelo mar
da eternidade

3 comentários:

Henrique Coutinho disse...

Poema lindo. Expressa com delicadeza, melancolia e beleza os sentimentos desta semana.

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Este é um dos mais belos poemas teus que já li. Essa dor que te medra transborda palavras no tom mais puro da poesia: o azul lírico mais celeste que um coração avista.

Graça Pires disse...

Lembranças perante fotografias baças... Mas não são as que a sua máquina fotográfica tira, porque essas têm tanta luz, amigo.
Um poema melancólico...
Um beijo.