domingo

para nada mais ser














"Fábricas em Asnières  avistadas  do Quai de Clichy", Vincent van Gogh


repleto de silêncios é
o labirinto ou destino
em que me confino

e ainda que breve
a faina do verso me
circunscreve

eu enfim sem lugar
em tarde que não é terra
e nem  tampouco mar

vivendo em eclipse
uma lira imaginária
sempre dedilhando

meus arpejos ecoando
no que da existência
me desvio

para nada mais ser
do que ser invisível
ou fugidio


Um comentário:

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Repleto de silêncios, o teu labirinto de palavras, que só encontra a beleza de ser.
Invisível ou fugidio é o tempo, que de tuas poesia se esquiva, posto que tuas palavras são escritas de eternidade.