domingo

sem paisagens meus olhos

"Campo de trigo com feixes", Vincent van Gogh

habito quase sempre
um lugar no outono
antes mesmo que dele
seja o nome da estação

não por um revés do vento
ou algo símile que o preceda
porém pelo que declina em
sonhos que amarelecem

são sem paisagens meus olhos
desvanecidos em equinócios
impostos pela solidão

um criptograma, o amor















"Jacqueline de mãos cruzadas",  Pablo Picasso

o que me é indecifrável
e me desenha  em solidão
é palavra que me inquire
esfinge por replicar

em seus inúmeros enigmas
um criptograma, o amor
com seus incontáveis nãos
e sempre a me devorar

sábado

o que é secreto na brisa








   



"Natureza morta com pedra", Pablo Picasso

nada me consente
o instante de pétalas
no que me impera
a hora invernal

assim me vejo vesperal
a solidão transcendendo o
que é secreto na brisa
revés de asas, nada mais

o amor é assaz íngreme
não obstante seu lume ou
todos seus azuis sinais