sábado

nem uma clave de encantos e lampejos















"Estrada em Louveciennes, neve derretendo ao por do sol", Claude Monet


a paisagem desalinho
ao entoar palavras
em meio à luz que finda nos
pentagramas da solidão

pois é pródiga a tarde
em semitons de silêncio
que nem asas ou passos
podem emudecer

ah, triste sina de sem
deuses ou amores
entender que fiar versos
se assemelha ao ocaso

onde nem uma clave
de encantos e lampejos
impede a escuridão

terça-feira

em meio à invernada













"O magpie", Claude Monet

não me basta no dia
a ênfase do sol
eu me sentindo assim
tão madrugada

asas trôpegas em
meio à invernada
entre os altiplanos que
nunca atravesso

pois sei a dor da brisa
ainda que inconfesso
o que faz em mim o
coração estrangeiro

as páginas tantas
sem semeadura
por não haver o amor
como iluminura

domingo

no que medro minhas palavras















 


"Guitarra-colagem ",  Pablo Picasso


espelhos quebro
no que medro
minhas palavras
a emoção estilhaçada
em caleidoscópio
sob o azul que
circunstante

de encalço e fuga
o instante
abismo da dor
intraduzível
entreato silente
que perdura

insígnia de asas
aprisionadas
ter só o verso
por assinatura