terça-feira

por vezes o silêncio contradigo










"Paisagem ao crepúsculo", Vincent van Gogh

como que de olhos
vendados à felicidade
sem sonhos conjugar
entre equívocos da
estação prossigo

por vezes o silêncio
contradigo com fraseados
a meu modo cifrados
ainda que recônditos
não os ouça ecoar

o que me incita ao verso
no que me torno palavra
é tentar mitigar tudo que
não me é constelado

o que não posso transpor
o que em mim é dissidência
o que se afigura ausência
ou o que não é amor

quarta-feira

minha autobiografia


















"Grande banhista com livro", Pablo Picasso

nenhuma odisseia
entre oceanos
só um itinerário entre
pedras e palavras
sem mapas ou planos

assim eu escreveria
minha autobiografia
páginas em branco
desencantos tantos
um ausente retrato

e nenhum amor
assente nesse relato
mais celebrações
ao silêncio, elipses
e versos destinados
ao anonimato

domingo

um cais incidental














"Barcos na praia de Pourville", Claude Monet

os pés ancorados
em terra firme
tenho para périplo
nenhum mar além
do azul inerte que
me sobrevoa

nauta sem farol
em mim os amores
são barcos ausentes
o coração nunca
marina no que
quase sempre atol

um recife a vida
e areias e sal
as palavras ondas
à revelia e
a poesia um cais
incidental