quarta-feira

mais ausente que jogral


"Violino e guitarra", Pablo Picasso

debandadas as palavras
no coração meu a vida
feito página desabitada é
moinho a esmo remoendo

e vou como que morrendo
sem horizonte ou ocaso
cultuando o gris com que
a tarde erige seu mural

eu na solidão assim ilhado
pássaro trôpego e silente
em meio à chuva vesperal

sexta-feira

da cor do que não permanece


"Gokula", Henrique Coutinho

qual a chuva ou o vento
o amor sempre me foi assim
algo arredio em seus súbitos
pelo que vejo paisagem
em despojos da tarde finda
ou na madrugada da estrela
que ruma incerta

dele me ficou o invisível
da solidão sem entretanto
como se do mar em lugar
do azul uma lembrança de sal
rastro de um indelével
instante de quase pranto
dor violeta na hora estival