quarta-feira

este silêncio sem azuis




















"Jardim em Arles", Vincent van Gogh


há muito que disto
da faina dos versos
eu que nunca ambicionei
algum outro mar

e no que não mais me
ancoro em anelos
palavras não deixo como
vestígios de mim

procuro antes um
refúgio que horizontes
inequívoco  traço de
não mais me encontrar

como se e tão-somente
este silêncio sem azuis
manifesto e contumaz
pudesse me bastar

domingo

algo além de aves em dissonância















 

 

"Um prado nas montanhas: Le Mas de Saint-Paul", Vincent van Gogh
 
quero das palavras
algo além de aves
em dissonância

ou de voos por
labirintos e abismos e
epígrafes de silêncios

quero paráfrases do vento
e ainda e só o verso
em lugar do exílio

para recobrar asas 
mitigar desenganos

e delinear outros mapas
que não os da solidão