segunda-feira

não sendo tempo de aflorar


"Impressão, sol levante", Claude Monet

do prefácio ao fim
esculpe o outono em mim
o enredo desta manhã
eu em invernal solidão
pétala nenhuma ou amor
ao alcance da mão

gládio de sol e neblina
triste sina é constatar
que do meu coração ou
de seus quadrantes
nada venha a vicejar

terça-feira

do que vejo na paisagem


"Paisagem de outono com barcos", Vassili Kandinsky

assim percebo o outono
neste prólogo da estação
um palco para múltiplos
quintetos de aves
ou mesmo sem um único
gesto dos ventos
um cais de despedidas

nele aporto tristezas
eu que en passant entre
pétalas esquecidas

segunda-feira

do que assim me emudece


"Outono na Bavaria", Wassili Kandinsky

perdido que foi
o veio da poesia
já não garimpo versos
e sei fugazes desde a
palavra que não medra
aos rompantes do coração

ironia de bateia vazia
feito diamantes na
manhã encontro
vislumbres de orvalho
mais ausências do outono
e o amor sem floração