quarta-feira

este silêncio sem azuis




















"Jardim em Arles", Vincent van Gogh


há muito que disto
da faina dos versos
eu que nunca ambicionei
algum outro mar

e no que não mais me
ancoro em anelos
palavras não deixo como
vestígios de mim

procuro antes um
refúgio que horizontes
inequívoco  traço de
não mais me encontrar

como se e tão-somente
este silêncio sem azuis
manifesto e contumaz
pudesse me bastar

Um comentário:

Graça Pires disse...

Um silêncio sem azuis. Como meu amigo d'Angelo se todos os silêncios são habitados pela cor do mar, pela cor do céu, pela cor de todas as paisagens líquidas mesmo as que nos nascem nos olhos?
Gostei de passar por aqui.
Um beijo e saudades.