domingo

um criptograma, o amor















"Jacqueline de mãos cruzadas",  Pablo Picasso

o que me é indecifrável
e me desenha  em solidão
é palavra que me inquire
esfinge por replicar

em seus inúmeros enigmas
um criptograma, o amor
com seus incontáveis nãos
e sempre a me devorar

2 comentários:

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Tua poesia é criptografia do lirismo
que te encerra.
Um poema do enigma que és.

Graça Pires disse...

Palavras a desenhar uma solidão antiga...
Um beijo, meu amigo.