domingo

o índigo e o gris















"A colina de Montmartre", Vincent van Gogh

se me esqueço menestrel
é por não mais saber em
meu mosaico de passos
onde se envereda a luz

como que dando adeus
à tarde e às palavras
me faço fugidio e errante
num levante de silêncios

onde o coração se divide
entre o índigo e o gris
do amor e seus ardis

Um comentário:

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Entre o índigo e o gris há o tom luminoso da tua poesia, pincelando matizes de lirismo e beleza em cada coração.