domingo

no que medro minhas palavras















 


"Guitarra-colagem ",  Pablo Picasso


espelhos quebro
no que medro
minhas palavras
a emoção estilhaçada
em caleidoscópio
sob o azul que
circunstante

de encalço e fuga
o instante
abismo da dor
intraduzível
entreato silente
que perdura

insígnia de asas
aprisionadas
ter só o verso
por assinatura

2 comentários:

Graça Pires disse...

Estilhaçar a emoção com um certo fascínio do abismo...
Sempre sua amiga, d'Angelo.
Beijo.

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Teus versos são asas de lirismo ruflando em teu peito.
A solidão que te encerra nada é, senão beleza que tua poesia descerra.


Luz!