domingo

não mais que dunas e desalento
















"Praia de Varengeville", Claude Monet
  

silêncios tenho navegado
sem que as palavras
venham me aportar

então não aludo a barcos
pois que desertos
percorro e não o mar

vislumbro não mais
que dunas e desalento
nesta dúbia paisagem

de degraus de aridez
e solidão 

e oásis nenhum
para o coração





Um comentário:

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Fiquei muito feliz em ver aqui postagem nova.
Ainda que desertos te habitem, haverá sempre silêncios, mas palavras, posto que a poesia é paisagem perene de teus olhos.
Minha admiração, sempre!
Beijo no coração