sábado

eternamente Pessoa

guardador de
livros e rebanhos
quantos foste não sei
tão incerta é esta
matemática

mas ouço em mim
o eco de tua lira
erma e arcana
e o que a palavra
tua alardeia
no meu peito corre rio
e vira aldeia

Um comentário:

Madu disse...

Que coisa mais linda, meu amigo! Sabe como amo Pessoa... queria ter feito esta...rsrs quem me dera!!!! beijos
Maninha