domingo

Graciliano

em tuas linhas
nunca tortas
mais que o agreste
ou a odisséia no sertão
teus cenários são
a humana condição

que está na ambição
pela terra
no cárcere da seca
no semear da fome
no desterro nordestino
na aridez da existência
palmilhada sob o sol a pino

neste de letras panorama
áspero e despojado
qual a caatinga
ainda a beleza vinga
seja numa cadela magrela
em celas da ditadura ou
na agrura por um periquito

e em meio às ossadas
angústias e seres
beirando o precipício
lapidar palavras
foi o teu ofício

Nenhum comentário: