quinta-feira

no silêncio que entremeava a manhã



"Paisagem em Auver na chuva", Vincent van Gogh


o desencanto não faz versos
diz-me na celebração da primavera
o coração assim cerceado
pois nenhuma mísera palavra
retive no esconderijo das mãos
desde que o dia se fez começado

a poesia na bruma a se esconder
em escombros os castelos meus
nenhum moinho então por mover
hoje tudo traduz o que é desalento
se percebem fugaz a areia dos sonhos
saberão cruéis os passos do vento

Um comentário:

Graça Pires disse...

O esconderijo das mãos. A areia dos sonhos. Os passos do vento...
"o desencanto não faz versos
diz-me na celebração da primavera
o coração assim cerceado"
Não faz?
Um abraço d'Angelo.