terça-feira

Cecília Meireles em mim


Cecília Meireles por Arpad Szenes

soçobram meus sonhos
assim como morrem
os meus navios
há muito não me reconheço do
lado de dentro do espelho
e sei que as minhas mãos
ambas se quebrariam
se o mar tocassem

por isso não me esqueço
nunca de você
quando vejo asas em
vôos rimados
ou mesmo a lua dispersa
e prometo ficar atento
aos motivos da rosa
se descuidado o vento
a despetalar

pois você, Cecília
umedece meus olhos
há muito empedrados
ante este mundo
por reinventar

12 comentários:

Adriana disse...

Estamos em harmonia, ainda ontem publiquei um poema sobre Cecília.O teu é belo demais!

Márcia disse...

belo! muito belo!
beijo.

Graça Pires disse...

"há muito não me reconheço do
lado de dentro do espelho
e sei que as minhas mãos
ambas se quebrariam
se o mar tocassem". Muito belo.
Quem não gosta de Cecília Meireles?
Eu acho a poesia dela excelente e toca-me imenso. E também me influencia. Um beijo para você, d'Angelo.

mfc disse...

Ela é deslumbrante.

Rosana disse...

LINDO! O poema e quem escreve.

Mïr disse...

Bonito.

Miguel Barroso disse...

Bela homenagem.






Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Cecília é unanimidade, mas teu poema é unicamente lindo.

beijo no coração

jugioli disse...

Cecília Meireles, sempre bom em ler e reler.
Lindo blog.

JU

Adriana disse...

Gostaria que fosses ao meu blog, tem uma brincadeira literária pra ti lá.Pega a outra ponta do fio.
bj
http://anndixson.blogspot.com

Graça Pires disse...

Saudades d'Angelo.

Fernando Campanella disse...

Linda homenagem a Cecília, meu amigo. belíssimos versos.