sexta-feira

nas vagas da poesia


"Barcos", Arcângelo Ianelli

tempestade sejam ou
ainda que calmaria
trago contidas as palavras
à solicitude dos ventos
respondendo com um não

à deriva vai meu coração
brancos versos meus navios
que a dor faz soçobrar
mais oceanos e desertos
silenciando meu olhar

3 comentários:

Roseli Oliveira disse...

Que seja com Arcângelo, na calmaria, talvez um "não",profundo ... tenha um significado mais leve ... esta solidão se depender dos ventos possa mudar de rumo!

Com carinho.

Graça Pires disse...

"trago contidas as palavras
à solicitude dos ventos"
Meu querido amigo d'Angelo: ao sabor do vento deixe seguir as palavras e vá com elas até onde a emoção o permitir.
Um beijo grande.

Adriana disse...

adoro poemas marinhos...esse som de vento, a brisa batendo nas águas a umedecer os olhos de solidão...Tudo tem cheiro de maresia e poesia, amigo...Não vim mais aqui porque vc tinha sumido, quando me deparo com esse belos poemas..vou ler todos que estão em atraso...