segunda-feira

sem contraponto ao silêncio
















"Mandolim e guitarra", Pablo Picasso

desenho versos sem simetria
a métrica minha tão símile
aos solfejos do vento

se a palavra se faz arredia
sem contraponto ao silêncio
relegado fico ao relento

assim sob a noite que se fia
sem olhos para as estrelas
alheio aos azuis do momento

Um comentário:

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Puxa, a tua poesia me fascina, D'Angelo.
Lindo demais!