sábado

seja a brisa ou devaneio

"Campos de trigo", Vincent van Gogh

em lugar do coração
penso ter um moinho
que por vezes estanca
se me falta o alento

pois preciso do que
me insufle a alma
nos campos de silêncio
das palavras por cultivar

seja a brisa ou devaneio
para o verso que semeio
não ter tão só a dor como
chão para germinar

2 comentários:

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Que a brisa dos teus versos seja alento eterno em teu coração de poeta.

Tuas palavras são sementes a germinar em solo de primavera.

Graça Pires disse...

Moinhos, velas brancas a girar... com a brisa o vento ou o devaneio.
Um beijo, meu amigo d'Angelo.