segunda-feira

antes fuga do que dança



"Campo de trigo ao nascer do sol da primavera", Vincent van Gogh

antes fuga do que dança
os passos que ensaio são
memória de asas tão-somente
estátua ou pedra na estação

poucos olhos tenho para o
decurso da primavera
em mim a palavra prospera
porém silêncios mais ainda

a paisagem me deslinda
quase nenhuma espera trago
de primícias, voos, vida
mera ave sem saída

Um comentário:

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Poeta, se não tens olhos para a primavera, teus versos sim; posto que tuas palavras são prelúdio de uma estação que desabrocha não somente flores, mas poesia em nosso coração.