sexta-feira

entre paisagens não desveladas















"Verde campo de trigo", Vincent van Gogh

funâmbulo à deriva
coleciono desencantos
entre  paisagens
não desveladas

entre sobressaltos
de silêncios e
palavras enredadas
eu que nunca  brisa, trigo
índigo ou  girassol

eu  nada sendo no
que sou assim
jamais  prelúdio e
quase sempre fim

2 comentários:

Graça Pires disse...

O funambulismo das palavras e dos silêncios no (des)equilíbrio dos sonhos...
Um beijo, meu amigo d'Angelo.

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Tuas palavras são prenúncio de primavera, mesmo que tuas quimeras não se realizem. Ainda assim há perfume de poesia a se espalhar por teu jardim, alquimia que em teus versos nunca tem fim.