quinta-feira

monossilábica a tarde



 "Campos de trigo em Auvers sob céu nublado", Vincent van Gogh

do vento os apelos
não alcanço
eu  que nunca pássaro
entre enganos nesse
pretenso voar

asa que foge
perco a palavra
no horizonte
monossilábica a tarde
em seu murmurar

Um comentário:

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Monossilábica fico diante de polissilábica poesia, cujos versos são sílabas de encanto e lirismo.

Se a palavra no horizonte se perde, é porque em seu coração se encontra, nascente dessa aurora de poesia, onde os versos são alados de pura magia.