domingo

o tempo e seus anelos


"Jardim Florido", Vincent van Gogh

o calendário ansiava
a primavera
tempo era de libertar
a beleza da clausura
das torres do inverno

transposto o fosso
das estações
setembro que chegasse
entre cores levadiças
revivendo girassóis

cavaleiro andante
o sol delegou a mim
cultivar flores
sobrevindas
semeando poesia
pelo chão

2 comentários:

ROSE disse...

Angel, maravilhosas as palavras, forma doce de expressar o desejo ardente da chegada da primavera.Linda poesia.Beijos.

Elizabeth F. de Oliveira disse...

O tempo da vida carrega consigo seus anelos de primavera, para que os campos, de poesia, sempre floresçam em nossos corações.
Esse poema é tão lindo como campos de girassóis e perfumado com os de lavanda.
Poesia tem cheiro, cheiro de lirismo autêntico; perfume inebriante de poesia.